*O casaco

O casaco

Por trás daquele casaco havia muitas coisas escondidas, o que parecia ser apenas um casaco amarelo, velho e simples, era muito, muito mais, era a lembrança de um lindo amanhecer, a saudade de amigos queridos, o calor da juventude, era muito, muito mais.

Leandra ainda era jovem, tinha apenas 29 anos, mas sua alma tinha pelo menos 45, sua alma envelheceu em um dia de verão, estava calor, estava muito quente, Leandra saiu para dançar com alguns amigos, vestindo um lindo vestido branco de alças, rodado e na altura dos joelhos, com o belo corpo cheio de curvas e suas pernas bem definidas, como não a notariam. Mas como sempre sentia um certo friozinho ao sentir-se sonolenta, pegou seu lindo e leve casaquinho amarelo para quando amanhecesse.

Quando houve o acidente naquela manhã tudo o que restou foi Leandra e seu casaquinho, porém Leandra já não era a mesma, talvez por isso apegou-se tanto ao casaco, era o resquício de uma época feliz, era um resquício de quem ela já foi…

Leandra é jovem, tem apenas 29 anos e uma vida inteira pela frente… Mas parece estar presa entre o período depois do acidente, e antes de voltar a sua vida rotineira, foi um intervalo de dois meses que ela ficou se recuperando do acidente e afastada de tudo, dois meses que ela não consegue literalmente recordar o que fez em um único dia.

O terror desses dois meses a atormenta, ela não sabe se chorou o luto da perda dos seus amigos, ela não sabe se agradeceu estar viva, ela não sabe se lamentou sua nova aparência, ela sequer sabe se comeu, dormiu ou qualquer outra coisa…

Não saber o que fez naqueles dias, não lembrar nada é um tormento… Então, ela usa seu casaco… Embora já não tenha mais o lindo vestido branco ou sua antiga aparência…

Embaixo daquele casaco há muito mais do que qualquer um pode pensar. Há todos os temores de uma alma sem lembranças e a saudade de momentos memoráveis, há um mundo inteiro de ideias que não é vivido, há um corpo e uma alma cobertos de cicatrizes.

Mas hoje, tudo pode ser diferente e Leandra, quem sabe, poderá tirar seu casaco…

Fim 

Lana Novais

8 Comments

  1. Seus textos tem muita intensidade e entretém a quem lê. Concordo com o comentário de que seus contos poderiam se tornar livros onde a história poderia se desenrolar com maiores detalhes e assim fechar com chave de ouro. Continue sempre expressando suas ideias com sua identidade característica.

  2. Bem detalhado embora resumido, deu para ver que poderia ser uma grande história.

    Como crítica, o final não convence pq há diálogo de saudade, mas na história ela perde a memória.

    1. Olá, Américo. Tudo bem?
      O período que ela perde a memória são os dois meses que ela fica se recuperando devido ao acidente.
      A saudade que ela cita é dos tempos vividos antes do acidente que ela se recorda.

  3. História rodeada de cenário, amigos, lembranças e uma pitada de temor e lembrança.

    Quantos casacos carregamos e vemos algumas pessoas carregando mais nada que o dia de amanhã para tornar você, Eu mais seres humanos.

  4. Nossa!! Que história triste… bonita, mas triste.
    Apesar de toda dor e dificuldade, nunca é bom ficar preso no passado. Que Leandra se liberte!

  5. Uma Garota, um Vestido, um Casaco e vários sonhos. Após o acidente Leandra não mas viveu, apenas o casaco de Fato restou para contar a História.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *