*Um leve desabafo

Um leve desabafo

Por que as pessoas que não se sentem completas têm a necessidade de transferir seus complexos para os outros em vez de gastarem seu tempo procurando o que lhes falta?

Não sou completamente feliz com a vida que tenho hoje, mas sou completamente feliz com a pessoa que me tornei.

Falar que sou feliz não significa que eu não tenha ciência das centenas de coisas que preciso mudar em mim, faz apenas eu reafirmar que me amo como sou!

Sinto-me completa como sou e estou, não preciso seguir um padrão para me encaixar ou me enquadrar, pois a verdade é que a única pessoa que preciso impressionar sou eu.

Não sinto a necessidade de uma família padrão pois encontrei em meus amigos apoio e em meu bichos o amor incondicional que deveria ser dado pela família.

Não sinto a necessidade de uma família padrão, pois encontrei em minha individualidade conforto e paz. Gosto de minha companhia, amo estar sozinha, seja para escrever, pensar ou simplesmente estar.

Na solidão pode haver muita dor, mas é onde se encontra as verdadeiras respostas sobre si mesmo.

A resposta que encontrei para mim é que sou o que sou, vivo minha vida conforme minhas regras e somente eu saberei as consequências das minhas escolhas, sejam alegres ou não…

E se minhas escolhas não serve pra outros, provavelmente porque elas são minhas e de mais ninguém.

Não me imponham suas regras, pois amo ser o que sou.

Não julguem minhas escolhas como estúpidas somente por serem diferentes das escolhas que vocês fariam.

Eu não estou ferindo a ninguém, eu não estou infringindo nenhuma lei, só estou sendo fiel a mim mesma e isso deveria ser enaltecido e não diminuído!

Só quero ser quem sou, sem ter que esperar comentários pejorativos a respeito das minhas escolhas somente por serem diferentes das escolhas da maioria.

Não julgueis pra que não sejais julgados, pois com a mesma medida com que medis também serás medido. (Bíblia Sagrada – Livro de Mateus – Cap. 7 – Vers. 1 e 2).

Lana Novais

11 Comments

  1. Tem pessoas que gostam de sugar nossa energia e de pegar migalhas da nossa paz e alegria.
    Devemos sim sempre estar transbordando coisas boas e nos completar não importa como….
    O que realmente importa é ser feliz e dono das nossas decisões e se sofremos consequência por algo errado tirar o máximo de lição daquela situação…..

  2. É temos que aceitar como somos e sermos humildes pra reconhecer nossos erros e falhas e tentarmos mudar pra sermos melhores pra nós mesmos e para os outros também

  3. Noss.. eu na vida
    As pessoas olham a gente fazendo as coisas mas não entendem os nossos motivos e nossas razões, é mais fácil julgar do que ajudar , né não?
    Amei mt o texto ❤

  4. CONCORDO PLENAMENTE…SABIAS PALAVRAS.MUITAS VEZES AS PESSOAS QUEREM TRANSFERIR PARA NOS DECISOES QUE ELAS MESMAS NAO TEEM CORAGEM.SENTEN- INCAPAZES DE TOMAR UMA ATITUDE E ENFRENTAR O SEU PROPRIO EU.SOMOS PERFEITAMENTE CIENTES DE NOSSAS DECISOES.NAO PRECISAMOS DE PARADIGMAS QUE NOS APONTEM O QUE NOSSA MATURIDADE JA FORMOU.NA MAIORIA DAS VEZES TAMBEM AMO MINHA PRESENCA; AMO MEUS ANIMAIS DE ESTIMACAO.SAO AS PESSOAS QUE TENHO CERTEZA (NAO ME ACUSARAM)MAS ME AJUDARAM A ENFRENTAR O MEU PROPRIO EU.

    1. Mais uma vez um texto muito bem escrito, parabéns!

      Ninguém conhece plenamente a si mesmo. Aquele que questiona e, mesmo diante da conclusão de um pensamento não leva em consideração a possibilidade de estar errado, falha. A melhor humildade é aquela que aplicamos a nós mesmos.

      Falo isso porque, apesar de entender e até concordar com parte do texto, existem algumas considerações que me parecem um tanto quanto contraditórias.

      Veja, TUDO tem seu lado bom e ruim. Bem e o mal são pontos de vista (no meu entender é claro). Ser julgado não é sempre ruim. Tudo vai depender da motivação e do ego daquele que o julga. Se este lhe julgar com base na imagem do ser que esta tem de você, talvez essa seja uma excelente análise que pode lhe ajudar a se compreender melhor. Ou não e este o está julgando apenas para impor seu pensamento sobre você, lhe manipular. Julgamentos bons e ruins: saber qual é qual é outra difícil pergunta, mas o fato permanece, nem sempre é ruim.

      Não esqueço que julgar a mim mesmo também passa por estas etapas. Nem por um minuto acho que sempre sou meu melhor amigo.

      A personagem do texto vive momento de aceitação e consolo ao mesmo tempo. O lado bom é que ela quer se entender e se aceitar. O lado ruim é que o auto convencimento, diferente da auto análise, não tem contrapontos e isso mostra que ela não entende a si mesma tanto quanto ela tenta passar.

      Se o ser humano erra e se esta é uma constante lembre-se que você pode estar errado. Como diz a letra de uma música “As probabilidades vão te trair”. Se você sempre achar que sua conclusão é 100% correta, você se trairá em algum momento.

      Se é senso comum que as pessoas são diferentes, então porque o senso comum também entende que todas devem ser justas, boas, nobres, ter filhos, casar, etc? O senso comum MUITAS vezes não tem lógica nem sentido. A personagem deve se nortear por ela e não pelos outros mesmo que o caminho não seja o que as pessoas esperam dela. Talvez ai ela consiga começar a desvendar os dois maiores mistérios da vida: “Quem você é? Quem quer se tornar?”

      Pensando comigo mesmo fico aqui, como todos os dias, me perguntando: “de tudo isso, o que errei e o que acertei?”

  5. Amar a si mesmo, é o primeiro passo para a felicidade. Estar bem consigo mesmo só trará coisas boas. ame-se muito e ame tudo o que fizer.
    Adorei este desabafo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *